Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Mais Notícias > Encontro de Xadrez conquista estudantes e servidores do Campus Laranjal do Jari
Início do conteúdo da página

Encontro de Xadrez conquista estudantes e servidores do Campus Laranjal do Jari

Publicado: Sexta, 12 de Abril de 2019, 20h30 | Última atualização em Segunda, 15 de Abril de 2019, 09h14

Foi expressiva a participação de estudantes e servidores do Campus Laranjal do Jari do Instituto Federal do Amapá (Ifap) no Encontro de  Xadrez, realizado nesta quinta e sexta-feira, dias 11 e 12/04, pela Pró-Reitoria de Extensão (Proext) e Departamento de Pesquisa, Extensão e Inovação (Depex) do Campus. A programação ofereceu curso de inicialização na modalidade de jogo, torneios e conhecimentos sobre arbitragem.

Desde que os circuitos de xadrez foram iniciados como ações de extensão no Ifap, nos campi de Macapá e Laranjal do Jari, no ano de 2010, as unidades passaram a se destacar nas competições internas, jogos escolares e nos Jogos Estudantis dos Institutos Federais (JIFs). Em 2017, criou-se, por meio da Proext, o Programa Xeque-Mate de iniciação de xadrez em todas as unidades, com foco em treinar atletas que queiram seguir como enxadristas, na oferta de cursos de árbitro e na realização de torneios oficiais.

“No Campus Laranjal do Jari nós sempre tivemos um xadrez muito forte e queremos dar continuidade a isso. O objetivo é colocar o xadrez em pauta, trazer para o programa aqueles que querem aprender, tanto alunos nossos quanto a comunidade externa, servidores do Ifap, os que já sabem e os que querem melhorar o seu nível.”, explicou a pró-reitora de extensão, Érika Bezerra, que é árbitra de xadrez.

O Encontro de Xadrez no Campus Laranjal do Jari, segundo a pró-reitora, visa não só fortalecer a participação como também inserir o aprendizado da modalidade como ferramenta pedagógica. “Temos muito resultado positivo do xadrez: a sua inclusão como componente curricular pelos professores de matemática, estudantes que foram finalistas na Febrace [Feira Brasileira de Ciências e Engenharia] com projeto que mostra o xadrez como ferramenta no processo de ensino/aprendizagem da matemática. Tudo isso não está desassociado, mas é devido a um histórico de trabalho continuado”, declarou.

A acadêmica Flávia Gabrielly, do primeiro semestre de Tecnologia em Gestão Ambiental, e que já foi finalista dos Jogos Nacionais Estudantis dos Institutos Federais (JIF), em 2017, está entusiasmada com o retorno dos torneios. “Estou muito feliz, o xadrez é um jogo de raciocínio lógico. Eu sempre participava desde 2015 dos jogos escolares e jogos internos até que consegui ganhar nos jogos regionais e foi incrível a sensação”, comemorou a acadêmica que é formada no curso Técnico em Informática do Campus Laranjal do Jari.

O xadrez se associa ao processo de ensino aprendizagem por estimular o desenvolvimento do raciocínio lógico, antecipação do raciocínio, concentração, agilidade, poder de memorização, atuação coletiva, e por ser transdisciplinar porque desenvolve habilidades e método estruturado de organização. O Encontro de Xadrez proporcionou cursos de inicialização na modalidade para o público interno e externo, com disputas, curso básico de arbitragem e competições de Xadrez Gigante e de Xadrez Humano, com premiações.

 

Por Keila Gibson, jornalista do campus Laranjal do Jari

 

Instituto Federal do Amapá (Ifap)

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Twitter: @ifap_oficial

Facebook:/institutofederaldoamapa

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página