Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Mais Notícias > Professor do Ifap é finalista em prêmio nacional de incentivo à pesquisa
Início do conteúdo da página

Professor do Ifap é finalista em prêmio nacional de incentivo à pesquisa

Publicado: Quarta, 15 de Julho de 2020, 18h32 | Última atualização em Quinta, 16 de Julho de 2020, 18h44

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) divulgou os seis finalistas do Prêmio Capes/Natura Campus de Excelência em Pesquisa. Dentre eles está o professor do Instituto Federal do Amapá (Ifap), Campus Laranjal do Jari, Anderson Pedro Bernardina Batista. O Prêmio é uma parceria entre a Capes e a multinacional brasileira de cosméticos Natura, e possui o objetivo de estimular a produção de artigos para o desenvolvimento científico e tecnológico voltados à sustentabilidade e à biodiversidade.

Batista é finalista com o artigo Spatial association of fruit yield of Bertholletia excelsa Bonpl. trees in eastern Amazon”, na temática Amazônia: a ciência de dados contribuindo para conservação socioambiental e uso sustentável dos recursos naturais. Ao todo, 115 trabalhos foram inscritos na abordagem citada. O Prêmio Capes/Natura recebeu 153 inscrições no total. O julgamento dos artigos científicos foi realizado por uma comissão composta por especialistas indicados pela Natura e Coordenações de Área da Capes. 

Segundo o professor e doutor em Engenharia Florestal, o estudo apresentado faz parte de sua tese de doutorado, com colaboração de professores da Universidade Federal de Lavras (UFLA) e da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa - Amapá), e enfatiza a importância da pesquisa no entendimento da produção de frutos da castanheira da Amazônia. “A produção deste fruto ainda é pouco entendida, devido a sua alta variabilidade, tanto entre árvores, quanto entre anos de produção. A pesquisa buscou revelar se árvores da espécie podem limitar a produção de frutos de outras ao seu redor (árvores vizinhas)”, relata.

Anderson Batista frisa, ainda, que a pesquisa gera impactos diretos e indiretos na região amazônica. “Sem dúvida, os impactos gerados pela pesquisa são muitos. Os diretos seriam com relação ao uso racional dos recursos naturais, na região do Vale do Jari e Resex Rio Cajari, especificamente os recursos não madeireiros; e os indiretos, o reconhecimento das pesquisas científicas realizadas no estado do Amapá, com publicações no meio acadêmico, a nível nacional e internacional”.

Além do estudo sobre a produção da castanheira, o professor tem desenvolvido outros projetos como pesquisa sobre “árvores gigantes do Vale do Jari”, sob a coordenação do professor doutor Diego Armando Silva da Silva, também do Campus Laranjal do Jari.

 

Por Tiago Ferreira, jornalista do Campus Laranjal do Jari

Instituto Federal do Amapá (Ifap)
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Twitter: @ifap_oficial
Facebook:/institutofederaldoamapa

registrado em:
Fim do conteúdo da página